Lançamos a Coleção 5 (1985-2019)

Região Sudeste tem leve redução no desmatamento em 2020

Dados do Relatório Anual do Desmatamento no Brasil para Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais apresentados e debatidos em webinar mostram os desafios para o desmatamento zero na região

O Relatório Anual do Desmatamento no Brasil - 2020, produzido a partir dos dados do MapBiomas Alerta, revelou um decréscimo de 2% no total de desmatamento na região Sudeste do país em relação ao ano anterior. Em 2020, foram desmatados 26.159 hectares nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais. Em 2019, esse número havia sido de 26.811 hectares.

Apesar da redução, ainda é preciso combater o desmatamento ilegal na região, como ocorre em todo o país. Ações que foram já tomadas e proposição de novas soluções foram discutidas em um evento online, nesta sexta-feira(2). A equipe do MapBiomas e representantes de órgãos de meio ambiente e do Ministério Público apresentaram dados regionais e mostraram integram seus sistemas e projetos com o que extraem do MapBiomas Alerta.

A região Sudeste é formada por três biomas: Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga e em todos houve desmatamento. E 30% da perda de vegetação nativa ocorreu em Formação Florestal; 61% em Formação Savânica; e 9% em Formação Campestre.

O Sudeste responde por somente quase 2% dos desmatamentos que ocorreram em todo o país. É importante destacar que é uma região onde já ocorreu grande degradação e que, mesmo com essa diminuição total, três dos quatro estados ainda tiveram aumentos significativos no desmatamento.

Em Minas Gerais, houve um aumento de 48% na quantidade de alertas identificados, mas uma redução da área média, que resultou em uma redução de 4% na área total desmatada. "Não é possível especular sobre o motivo da redução, principalmente porque ainda é uma série temporal curta", afirmou Marcos Rosa, coordenador da equipe Mata Atlântica do MapBiomas e coordenador técnico do Mapbiomas . "Sabemos que o pico de desmatamento se concentra no início do ano por conta do Cerrado mineiro, que é mais extenso que a área da Mata Atlântica – onde os desmatamentos estão mais concentrados no final do ano."

Os dados do MapBiomas mostram que 73,6% dos assentamentos caem em propriedades privadas, ou seja, onde é possível identificar o causador apenas pelo sistema remoto. Além disso, é necessário salientar a atuação Ministério Público Estadual e a operação Mata Atlântica em Pé que tem se ampliado cada vez mais, agindo sobre esses alertas detectados. Em 2020, houve autuação para 650 alertas em toda a Mata Atlântica, o que representa uma área de de 6.000 ha de desmatamento. Foi aplicado o total de mais de R$ 32,5 milhões em multas.

O Relatório Anual do Desmatamento no Brasil, pelo segundo ano consecutivo, apresenta dados uniformes e com metodologia, possibilitando mensurar e comparar o tamanho do problema, permitindo o monitoramento e o gerenciamento das áreas desmatadas em todos os biomas do país. “Os dados ajudam a entender o cenário e buscar soluções, para construir caminhos e lidar com os desafios”, diz a coordenadora de articulação institucional do MapBiomas, Magaly Oliveira.

Destaques sobre a região Sudeste no Relatório Anual do Desmatamento no Brasil - 2020:

  • 1.436 alertas detectados, validados e refinados (um aumento de 50% em relação a 2019);
  • 26.159 hectares de desmatamento (decréscimo de 2% em relação a 2019);
  • em quase todos os estados da região foi registrado aumento no desmatamento em relação ao ano anterior, menos em Minas Gerais – mesmo ainda tendo a maior área desmatada – por isso, a queda verificada na área total;
  • Minas Gerais foi o estado com a maior área total desmatada: 25.194,9 hectares (96% do total desmatado no Sudeste);
  • São Paulo teve perda de vegetação nativa de 406 hectares (um crescimento de 10% em relação ao ano anterior - 369,4 ha), o que corresponde nem a 2% do desmatamento detectado na região;
  • no Rio de Janeiro, o desmatamento foi de 317 hectares (1% do desmatamento da região). Em 2019 foram 125 ha, ou seja, um aumento de 154%;
  • o Espírito Santo teve desmatamento de 241,7 hectares (1% do desmatamento da região), um aumento de 125% comparado a 2019 (107,3 ha);
  • no Sudeste, foram registrados 387 municípios com desmatamento, do total de 1668, ou seja, 23% das cidades;
  • Os 10 municípios mais desmatados em 2020 pertencem ao estado de Minas Gerais;
  • O município com a maior área desmatada em Minas Gerais foi Buritizeiro (1.337 ha); no Rio de Janeiro, Belford Roxo(84,3 ha); no Espírito Santo, Aracruz (41,81ha); e em São Paulo, Natividade da Serra(33 ha).

Acesse na íntegra o Relatório Anual de Desmatamento 2020 no site do MapBiomas Alerta.

Imprensa MapBiomas
imprensa@mapbiomas.org
Liuca Yonaha - (11) 94186-4029