Lançamos a Coleção 6 (1985-2020)

Rede MapBiomas se expande globalmente replicando trabalho colaborativo na elaboração de séries de mapas

Seis iniciativas, incluindo a primeira fora do continente americano, produzem coleções de mapas anuais de cobertura e uso da terra com resolução de 30 metros. Elas contam a história das transformações nas paisagens de diferentes biomas

Segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Há mais de 2,5 mil satélites artificiais em operação orbitando a Terra. Muitos deles registram milhares de imagens dos mais diversos pontos da superfície do planeta. Um grande acervo de fotografias que cresce a todo instante e pode ajudar a entender as transformações das nossas paisagens. A Rede MapBiomas contribui para organizar parte dessas informações – geradas pelos satélites Landsat – e disponibilizá-las por meio das suas coleções de mapas anuais de cobertura e uso da terra, com resolução de 30 metros, abarcando diferentes biomas e territórios.

Como resultado do trabalho colaborativo e transparente desenvolvido pelo MapBiomas desde 2015, o Brasil tem hoje a mais completa série de dados e mapas de cobertura e uso da terra já consolidada sobre um país. O esforço em rede envolve especialistas de diferentes áreas e instituições – ONGs, universidades e empresas de tecnologia. E é replicado para além do território nacional, até em outros continentes.

A Rede MapBiomas é formada atualmente por seis iniciativas que mapeiam a cobertura e o uso da terra no Brasil, nos territórios da Pan Amazônia, do Chaco, da Floresta Atlântica Trinacional, do Pampa Trinacional e também na Indonésia. “O MapBiomas já nasceu com a ideia de poder ser reproduzido em outros contextos, outros territórios, formando sempre redes locais, que nos permitam compreender melhor o que está acontecendo com o planeta”, diz Tasso Azevedo, coordenador do MapBiomas.

Cada iniciativa MapBiomas é desenvolvida por um conjunto de parceiros locais, que organizam sua própria governança. Todo trabalho é colaborativo e, graças à computação em nuvem, é distribuído em vários laboratórios. “Cada um dos países que integram a rede tem uma equipe de trabalho que explora essa expertise sobre o conhecimento local. E nós [do MapBiomas Amazônia] incorporamos tudo isso que já fazia o MapBiomas Brasil”, afirma Sandra Ríos, uma das coordenadoras do MapBiomas Amazônia.

O MapBiomas se tornou possível com os grandes avanços na capacidade de processamento de dados nos últimos anos. Usando imagens disponibilizadas gratuitamente pelos satélites Landsat e a tecnologia Google Earth Engine, as plataformas MapBiomas possibilitam o acompanhamento das séries históricas da cobertura e do uso da terra.

A expansão da Rede MapBiomas tem sido possível pelo compartilhamento das experiências e aprendizados, não apenas do ponto de vista técnico, mas também de organização e dinâmica do trabalho. “Um dos maiores desafios era a realização conjunta entre os três países – Brasil, Argentina e Paraguai –, com uma equipe técnica multidisciplinar, que realmente trabalhasse em conjunto e continuamente para gerar toda essa informação”, diz Fabiana Arévalos, do MapBiomas Chaco.

A equipe do MapBiomas Indonésia também destaca que, além do conhecimento técnico, a experiência do grupo no Brasil no relacionamento institucional com empresas e governo tem ajudado na construção do projeto no país asiático. É a primeira iniciativa da rede fora das Américas.

A Rede MapBiomas exporta uma metodologia que nasceu no Brasil, consolidando-se como referência para o mapeamento de diferentes biomas e de trabalho colaborativo na construção do conhecimento e de ferramentas para promover o desenvolvimento sustentável.

As iniciativas da Rede MapBiomas

MapBiomas Brasil: a mais completa série histórica de cobertura e uso da terra
O MapBiomas Brasil já está na sua quinta coleção de mapas. Seu nível de detalhamento possibilita o mapeamento de 21 diferentes classes de cobertura e uso da terra, como áreas de mangues, campos alagáveis, áreas pantanosas, cultiváveis, pasto, rios e lagos. Além disso, é possível conhecer a evolução da área de irrigação, avaliar a qualidade das pastagens e mapear a vegetação natural em regeneração. Isso tudo em uma série histórica ano após ano, desde 1985.

Site: mapbiomas.org
Plataforma: plataforma.brasil.mapbiomas.org

No Brasil, conheça também
MapBiomas Alerta: alerta.mapbiomas.org
Geocovid MapBiomas: covid.mapbiomas.org

MapBioma Amazônia engloba 847 milhões de hectares, envolvendo 9 países
O MapBiomas Pan Amazônia foi a primeira iniciativa transnacional do MapBiomas e está na sua segunda coleção de dados com 12 classes de cobertura e uso da terra desde 1985. O mapeamento inédito incorpora todo o bioma, envolvendo nove países (Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa), desde os Andes, passando pela planície amazônica e chegando até as transições com o Cerrado e o Pantanal.
Site: amazonia.mapbiomas.org/
Plataforma: plataforma.amazonia.org

MapBiomas Chaco abrange três países, cobrindo o Chaco, os Yungas e fragmentos de outros biomas
Depois de Brasil e Pan Amazônia, o MapBiomas Chaco expandiu a rede para o mapeamento do bioma que ocupa a maior parte do Paraguai, cobrindo também o sul da Bolívia e o norte da Argentina. A segunda coleção de mapas do Gran Chaco Americano apresenta uma série histórica de 2000 a 2019, com 14 classes mapeadas. A área mapeada é de 120,6 milhões de hectares, incluindo, além do Chaco, os Yungas e fragmentos de outros biomas.
Site: chaco.mapbiomas.org
Plataforma: plataforma.chaco.mapbiomas.org

MapBiomas Pampa Trinacional prepara primeira coleção de mapas consolidando duas décadas de dados
Uma equipe formada por especialistas de Brasil, Argentina e Uruguai se uniu para lançar a primeira coleção de mapas do Pampa. A série histórica de mapas e dados anuais do MapBiomas Pampa Trinacional mostrará as transformações dos cerca de 100 milhões de hectares do bioma de 2000 a 2019.
MapBiomas Florestas Atlânticas trará mapas anuais de 2000 a 2019
A iniciativa MapBiomas Florestas Atlânticas reúne parceiros paraguaios, além de brasileiros e argentinos especializados nesse tipo de bioma caracterizado por florestas tropicais. O mapeamento se estende pela costa leste brasileira, área mais urbanizada do país, até o leste do Paraguai e a região de Missiones na Argentina. O grupo trabalha na construção da plataforma que trará dados relevantes como a regeneração da cobertura vegetal da Mata Atlântica.
Mapa preliminar do MapBiomas Florestas Atlânticas
MapBiomas Indonésia, a primeira iniciativa da Rede MapBiomas em outro continente
O MapBiomas também está presente na Indonésia. Formada originalmente por densas florestas tropicais, a cobertura do solo do país no sudeste asiático vem passando por profundas mudanças nas últimas décadas. Com uma metodologia de reprodução de conhecimento por meio de oficinas e teleconferências, uma equipe local foi capacitada por especialistas brasileiros, que seguem em contato semanal com os desenvolvedores do projeto no maior arquipélago do mundo. Sua coleção de mapas permitirá o monitoramento de 12 diferentes classes e as mudanças ocorridas desde o ano 2000.
Mapa preliminar do MapBiomas Indonesia