MapBiomas integra speciesLink, a maior rede de dados da biodiversidade brasileira

Os dados de uso e cobertura da terra do MapBiomas, entre 1985 e 2021 (Coleção 7), agora integram o speciesLink, uma rede colaborativa que agrega informações sobre a biodiversidade brasileira. O objetivo da rede é fomentar a pesquisa, a educação e a formulação de políticas para promover a conservação e o uso sustentável da biodiversidade. As informações são públicas.

Os dados do MapBiomas mostram a perda de áreas naturais e sua transformação em áreas antrópicas (relativo às modificações provocadas pelos humanos no meio ambiente), em todos os biomas brasileiros. Mas como medir o impacto na biodiversidade? Este era o desafio do Centro de Referência em Informação Ambiental (CRIA) ao integrar os dados do MapBiomas à rede speciesLink. 

Na interface de busca do speciesLink foi implementado um filtro para uso dos dados do MapBiomas (imagem abaixo), de modo que o usuário possa guiar a busca por registros de acordo com a cobertura e uso da terra no local onde o espécime foi coletado (entre 1985 a 2021). Essa funcionalidade permite, por exemplo, identificar espécimes coletados em áreas naturais que foram antropizadas, indicando perda de habitat, ou fazer inferências sobre a ocorrência de uma espécie em determinada classe de uso e cobertura da terra. 

Os resultados alcançados também contaram com a participação de equipes do ICMBio, no Grupo de Trabalho da Biodiversidade, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Herbário Virtual da Flora e dos Fungos (INCT-HVFF) e sua rede de herbários, do Google Cloud Platform no apoio técnico e concessão de créditos para o uso da plataforma e do apoio financeiro do Instituto Clima e Sociedade (iCS), uma organização filantrópica que apoia projetos e instituições dedicadas ao enfrentamento das mudanças climáticas no Brasil.

Exemplo de busca

Os mapas abaixo mostram o local e a quantidade de espécies botânicas coletadas entre 1985 e 2021 no bioma Amazônia, sendo que em (A) observam-se todos os registros onde a coleta foi feita em áreas naturais e em (B) uma parcela dos registros de (A) na qual a área natural da época de coleta é uma área antrópica em 2021.


A                                                                                           B

Nesse exemplo a busca (A) recuperou 308.540 registros de 15.518 espécies distintas e a busca (B) 32.705 registros de 5.677 espécies distintas. Pode-se concluir que 10,6% dos registros e 36,5% das espécies foram potencialmente afetadas pela perda de área natural.

A rede speciesLink

A rede speciesLink (https://specieslink.net) conta com mais de 16 milhões de registros de ocorrência de espécies da flora, fauna e microbiota com mais de 5 milhões de imagens associadas. Cerca de 10,5 milhões de registros são de coletas/observações feitas no Brasil. 

O compartilhamento de dados é feito por 170 instituições, sendo 35 do exterior, que juntas integram 553 conjuntos de dados. 65% dos registros são de material coletado no Brasil, mas também são integrados dados de todos os países sul americanos. Para mais informações acesse o Dashboard da rede (https://specieslink.net/dashboard).